Já roeste as unhas até à cabeça dos dedos, a tua mente está ocupada em desfazer um ninho de ratos que é a tua relação, divides-te entre olhar para o telemóvel e para o maço de tabaco. Não hesitas e de um pulo digitas o nº dele à espera de resposta…

Chama duas vezes e do outro lado desligam.

Tradução: Viu quem é, sabe que és tú e não te quer atender!

Não importa… agarras no maço de cigarros e acendes apressadamente um cigarro, voltas a ligar… chama, chama, chama…

Tradução: Bem podes ligar que eu não te vou atender.

O cigarro desaparece, como se tivesse sido sugado por um buraco negro.

Verificas se recebeste alguma mensagem… Mensagem tens uma nova mensagem!!! vê! vê!

Escrito no ecrã surge: Carregue o seu telemóvel até dia 22 de Julho….

Que vontade de fazer um lançamento de telemóvel aqui do 5º andar era lindo!

Volta a ligar… não chama! do outro lado a cassete: De momento o nº que está a tentar ligar não se encontra disponível...

Tradução: Não me voltes a ligar estou-me a ….. para ti.

Agarra o telefone como se de um salva vidas se trata-se procura pela Lena.

-Tou Lena? Vamos sair logo?

-O.k combinado… vens me buscar?…

-Sim as 22h!

-Beijo.

Mal desligas o telefone, o telefone toca que susto, quase que o deixas cair, toca  atendes logo á 1a

Tradução: Estás mesmo apanhadinha por ele.

Do outro lado o causador do ninho de ratos.

-Desculpa amor, mas estava a conduzir e não te podia atender.

Olha para ti, estás a desfazer-te em sorrisos. Acendes mais um cigarro e sussurras lérias de amor.

Temos a noite toda meu gatinho…

O nevoeiro que te envolvia desfaz-se e agora até ouves passarinhos gagos a cantarem. 

A tradutora agarrou num saco de papel e dirige-se para a saida… parece que vai vomitar.

Não existe mais nada… só tu e ele… há e a tua amiga que vai ficar apeada… mas ela já deve estar habituada.

 

Crónicas da Ana.

.